sERVIÇO DE ANESTESIOLOGIA

Segurança, mitos e verdades em anestesia

CUNHA PEREIRA FILHO

Blog

Segurança, mitos e verdades em anestesia

O que é anestesia?

É um estado onde ha ausência total de dor, acompanhada pela ausência de outras sensações. Ocorre durante unia cirurgia, exame diagnóstico (endoscopia, tomografia, ressonância magnética, etc.) ou curativo. A anestesia pode ser uma sedação, quando apenas urna sonolência leve é suficiente, urna anestesia geral, quando todo o corpo fica anestesiado ou uma anestesia regional, quando apenas uma região do corpo é anestesiada, podendo ou não ser acompanhada de sedação. Durante uma sedação o paciente pode ficar apenas sonolento ou dormir profundamente. Pode ainda haver a combinação da anestesia geral com a anestesia regional (raquianestesia ou peridural) em casos específicos, como em cirurgias de maior porte ou maior potencial doloroso. Nestes casos esta anestesia regional serve para aliviar a dor no pós-operatório.

 

• O que é necessário para se tornar um anestesista?

Para se tornar um especialista em anestesia são necessários seis anos de Medicina + 3 anos de especialização em Centros de Ensino e Treinamento regulamentados pelo Ministério da Educação e/ou Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Pode haver ainda uma sub-especialização de mais um ano em determinadas áreas tais como Pediatria, Cirurgia Cardíaca e Dor. Estes médicos não só aplicam a anestesia, como também cuidam de você durante toda a cirurgia c depois dela. Durante a cirurgia o Anestesiologista controla sua Pressão Arterial, pulso, ritmo cardíaco, respiração, temperatura, funcionamento dos rins e outras funções orgânicas. Cuidam de tudo para que você esteja sem sofrimento, seguro e para que o cirurgião possa trabalhar com tranquilidade. O Anestesiologista é o verdadeiro guardião de sua vida durante e logo após uma cirurgia. Estará ao seu lado, durante todo o tempo da cirurgia, exclusivamente para cuidar de você, mesmo que você não perceba ou não se lembre de nada depois da anestesia.

 

• Quais os tipos de anestesia que existem e qual a função d.e cada uma delas?

Existem diversos tipos de anestesia e anestésicos gerais e locais. Os anestésicos locais são aplicados perto dos nervos, enquanto os anestésicos gerais são administrados pela veia ou pela respiração. Todos proporcionam anestesias adequadas quando bem indicados. A escolha do anestésico varia com o tempo e o tipo de cirurgia e com as condições físicas do paciente. Depois de conhecer e avaliar o paciente o Anestesiologista indicará a melhor opção. Não existe “cheirinho”, o que será feito é uma anestesia geral ou uma sedação.

 

• Quais são os riscos de urna anestesia? Anestesia pode matar?

A chance de um paciente morrer ou acontecer alguma complicação grave por conta de um procedimento anestésico é da ordem de 1 para cada 50.000 cirurgias. A anestesia assim como qualquer procedimento médico tem seus riscos associados, porém o Anestesiologista estará sempre ao seu lado para tratar qualquer intercorrência durante uma operação. Pacientes mais graves possuem risco maior, assim como cirurgias de grande porte ou cirurgias de emergência. O risco de morte está mais relacionado com a gravidade do paciente, e a anestesia quando conduzida por profissional qualificado e com equipamentos modernos, reduz estes riscos.

 

• A Anestesia Geral é mais perigosa?

MITO: A anestesia geral tem seus riscos associados, assim como as anestesias regionais tem os seus. Tudo vai depender da indicação adequada do tipo de anestesia para a cirurgia proposta e principalmente do quadro clínico do paciente.

 

• A Anestesia faz cair o cabelo?

MITO: Devido ao stress de urna cirurgia, a oferta de nutrientes ao couro cabeludo pode ficar deficiente, gerando queda de cabelo. Garantir um bom aporte nutricional e descartar a hipótese de outras doenças é essencial no tratamento desse tipo de perda dos fios.

 

• Na Anestesia pode ocorrer choque anafilático?

VERDADE: Qualquer procedimento que envolva a administração de medicamentos pode levar a um quadro de alergia e anafilaxia. O fato de haver chance de acontecer, não quer dizer que aconteça com frequência. Não podemos descartar esta possibilidade ainda que muito rara, e ainda que ocorra, poderá ser revertida pela equipe médica. Seu Anestesiologista estará sempre ao seu lado cuidando para que qualquer intercorrência seja prontamente tratada.

 

• A anestesia geral pode levar o paciente a nunca mais acordar?

Quando aplicado por Anestesiologista qualificado, não há este risco associado apenas a anestesia. Cada droga utilizada na anestesia geral tem urna duração, e cada paciente reage de uma forma diferente. Uns acordam logo e outros demoram um pouco mais dependendo da droga empregada, da duração da cirurgia e do organismo de cada paciente. Casos de pacientes que entram em coma são raros e estão associados a doenças ou complicações, mas ainda assim são casos raros.

 

• Existe algum teste para saber se o paciente é alérgico à anestesia?

MITO: Não existe teste para a anestesia. Os medicamentos utilizados em anestesia são submetidos a testes durante vários anos antes de ser liberados para uso em humanos. Pacientes que já apresentaram reação alérgica a algum remédio devem informar ao seu Anestesiologista durante a consulta pré-anestésica ou antes de uma cirurgia de urgência se estiver consciente ou a informação será fornecida por um familiar.

 

• Quantas horas vou ficar dormindo?

A Anestesia geral dura o tempo que durar a cirurgia. Os anestésicos gerais são aplicados de forma contínua, e não numa dose única. No caso da anestesia regional (raquianestesia ou peridural), ela é escolhida de acordo com a cirurgia, para que dure o tempo necessário.

 

• O que vou sentir após acordar?

Depende muito da cirurgia, do tipo de anestesia que você tornou e das suas condições físicas. Devido às modernas drogas e técnicas anestésicas apenas um número muito pequeno de pacientes chega a sentir-se mal. Normalmente você não se lembrará de nada que aconteceu. O Anestesiologista cuidará para que lhe seja assegurado o máximo de conforto.

 

• Como devem proceder os pacientes que tiveram reações alérgicas a medicamentos?

Pacientes que já tiveram alguma reação alérgica devem informar ao seu Anestesiologista antes do procedimento, seja na consulta pré-anestésica em casos de cirurgia eletiva ou antes do procedimento em casos de urgência. Os familiares devem ser informados sobre estas alergias, pois o paciente pode estar inconsciente cm casos de urgência. Pulseiras de uso pessoal informando doenças ou alergias estão cada vez mais populares em pacientes portadores de doenças crônicas (asma, insuficiência renal, doença do coração, etc.) ou alergias a medicamentos.

 

• Como devem proceder os pacientes portadores de doenças como Asma, Diabetes, Hipertensão Arterial, Bronquite e problemas cardíacos?

Estes pacientes serão examinados e avaliados durante a consulta pré-anestésica. Seus exames laboratoriais, e demais exames serão vistos como parte da avaliação e planejamento da técnica anestésica. Cada paciente com sua doença em particular receberá instruções sobre o uso dos medicamentos que usa, assim como daqueles que irá parar de tomar antes da cirurgia. Dependendo do estado físico do paciente e do porte da cirurgia, o pós-operatório poderá ser feito numa UTI. Em casos específicos, será solicitada a reserva de sangue ou seus componentes (plaquetas, plasma) em cirurgias com maior risco de sangramento.

 

• Posso acordar no meio da cirurgia? Caso o paciente acorde o anestesista vai perceber e tomar alguma providência?

É uma ocorrência muito rara, e que com equipamentos modernos podem ser evitados ou minimizados em sua grande maioria. Os casos em que foram relatadas tais ocorrências normalmente são pacientes em estado grave onde seu estado físico não permitia que anestésicos fossem administrados (hipotensão grave por sangramento ou outra causa). Hoje existem equipamentos específicos (BIS) para evitar que isto ocorra, mas ainda possuem um custo elevado para sua utilização. Os pacientes devem procurar saber se seu plano de saúde libera a utilização destes equipamentos durante a cirurgia, e sempre que possível cobrar das empresas seguradoras de saúde para liberarem o uso de tais equipamentos. Em alguns casos o paciente pode ser solicitado a pagar pela utilização do equipamento, sendo ressarcido posteriormente pela sua operadora de seguro-saúde.

 

• É normal sonhar durante a anestesia?

Alguns pacientes relatam sonhos após uma cirurgia, mas isto não acontece com todos. Não há como prever se o paciente vai sonhar.

 

• O que é anestesia epidural?

São anestesias que utilizam anestésico local, e servem para anestesiar apenas parte do corpo, normalmente em cirurgias realizadas na parte inferior do corpo (do peito pra baixo). Nestes casos os pacientes podem dormir por efeitos de sedativos, mas não é urna anestesia geral. Os pacientes quando submetidos à anestesia regional (raqui ou pendural), ficam alguns minutos ou horas sem sentir a região anestesiada. É um procedimento normal, pois o anestesista aplica uma dose de segurança caso o procedimento demore mais que o esperado, garantindo assim que o paciente não vai sentir dor.

 

• O que é a raquianestesia?

É um tipo de anestesia regional, que da mesma forma que a pendurai também é aplicada nas costas para cirurgias da parte inferior do corpo. Neste caso os anestésicos são aplicados mais próximos dos nervos da medula, e por isso são necessárias quantidades menores de anestésicos.

 

• É errado levantar a cabeça após uma cirurgia?

Existe uma complicação que pode ocorrer após uma anestesia regional (raquianestesia), chamada cefaléia pós-raquianestesia (cefaléia = dor de cabeça). Antigamente pensava-se que o repouso (sem travesseiro) durante 24 horas prevenia esta ocorrência. Hoje se sabe que o repouso não previne a cefaléia, apenas melhora os sintomas quando o quadro já está instalado. O que previne a cefaléia é o uso de agulhas de fino calibre e pontas não cortantes (agulhas ponta de lápis). Com estas agulhas a incidência de cefaléia é muito baixa, e quando ocorre é de menor intensidade e de tratamento mais fácil.

 

• A anestesia geral pode causar problemas de memória?

A anestesia pode estar associada a uma perda temporária de memória em casos raros, principalmente quando pacientes idosos são submetidos a anestesia geral, mas são perdas de memória passageiras, que voltam ao normal na maioria dos casos, em 3 a 6 meses.

 

• Quem esclarece você sobre a anestesia?

Somente na consulta com o médico Anestesista é que todos os esclarecimentos serão feitos. Não aceite qualquer informação de pessoas não especializadas. Existem muitas fantasias e desinformações sobre a Anestesia.

 

• Quem escolhe o Anestesista?

Você tem o direito de escolher seu Anestesiologista, porém os hospitais possuem Serviços de Anestesia com Os quais o cirurgião já está acostumado a trabalhar, formando urna equipe. Nestes casos você poderá escolher qualquer um que faça parte do Serviço de Anestesia do hospital.

 

• Como você colabora com a sua segurança?

Você receberá orientações durante a consulta pré-anestésica sobre os medicamentos que toma e quais deverá parar antes da operação, e quanto tempo terá de ficar em jejum, dependendo do alimento ingerido. Normalmente se utiliza jejum de 8 horas para alimentos gordurosos, 6 horas para alimentos leves (chá ou café sem leite com torradas), 3 horas para água ou suco sem leite (até 300 ml), 4 horas para as crianças que estão com dieta exclusiva de leite materno e de 6 a 8 horas para crianças em uso de fórmula infantil (mamadeira). Na noite anterior e cerca de uma hora antes da cirurgia, dependendo do dia e horário da internação, é provável que você receba algum comprimido ou injeção de sedativo, para tornar mais confortável para você o transporte e a chegada à Sala de Operações. Serão removidas de sua boca quaisquer peças dentárias móveis como dentaduras, pontes, especialmente as de menor tamanho. Não use cosméticos ou produtos de beleza no dia da cirurgia: deixe-os em casa. Não leve para o hospital, e muito menos para a sala de cirurgia, jóias pessoais como anéis, relógios de pulso brincos. Retire alfinetes, grampos de cabelo, perucas, cílios postiços e outros objetos desnecessários. Não mastigue goma de mascar antes da cirurgia, porque isto provoca aumento de ar e sucos (ácidos) no estômago, o que pode causar náuseas ou vômitos depois da cirurgia. O cigarro deve ser abandonado idealmente cerca de 8 semanas antes da cirurgia. Se o vício for incontrolável, 24 horas sem fumar já ajuda bastante.

 

• O que é sala de recuperação?

Quando termina a cirurgia o Anestesiologista suspende os anestésicos e inicia o processo de recuperação. Isto pode demorar alguns minutos ou horas, dependendo da duração e do tipo de anestesia aplicada. Durante este tempo você estará sob os cuidados de pessoal qualificado para evitar complicações e surpresas. Você ficará na sala de recuperação pós-anestésica, dentro do centro cirúrgico, até estar completamente desperto ou recuperado. Só aí é que o Anestesiologista dará autorização para que você seja levado de volta ao seu quarto. Nos casos de grandes cirurgias o paciente poderá ser encaminhado para uma Unidade Semi-Intensiva ou mesmo para fazer a recuperação em uma UTI.

 

• Por que o medo da Anestesia?

Todas as pessoas têm medo do desconhecido. É como viajar de avião: quem nunca viajou, morre de medo, outros mesmo viajando sempre, também se preocupam. O que acontece com a anestesia é semelhante com os aviões: milhares de aviões decolam e pousam a cada minuto, mas Os poucos acidentes que acontecem ganham as paginas das mídias e redes sociais causando pânico na população. A mesma coisa acontece com a anestesia: há medo do desconhecido e muitas divulgações alarmistas de raros acidentes. Diariamente Anestesiologistas qualificados aplicam milhares de anestesias em todo o mundo, com toda segurança. É por isso que você deve exigir um Anestesiologista qualificado que o examine, oriente e cuide de você. Ouvir explicações sinceras e seguras reduz muito a ansiedade.

 

• Quanto custa uma. Anestesia?

Depende bastante da operação, do tempo de trabalho e da complexidade da cirurgia. Se você é um paciente particular, tudo será discutido com antecedência, sem surpresas. Caso você possua algum convênio, serão seguidas as regras e exceções da sua Instituição. As vezes poderão aparecer algumas diferenças que também serão discutidas e alertadas com antecedência. Caso você seja um paciente do Sistema Único de Saúde (SUS, nada poderá ser cobrado para a realização da sua cirurgia e da sua anestesia.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp